domingo, 20 de janeiro de 2013

deslocar de onda

A questão fundamental é saber onde está o seu coração.


sábado, 19 de janeiro de 2013

Sobre Deus e outros pequenos desvarios

Parece-me mais fácil ter fé em Deus, não obstante ser algo tão para além da nossa limitadíssima compreensão, do que na infeliz humanidade. Durante muitos anos, afirmei-me crente por pura preguiça. Ser-me-ia difícil explicar a Odete, e a todos os outros, a minha descrença. Também não acreditava nos homens, mas isso as pessoas aceitam com facilidade. Compreendi ao longo dos últimos anos que, para acreditar em Deus é forçoso confiar na humanidade.
Não existe Deus sem humanidade.

Continuo a não acreditar, nem em Deus, nem na humanidade. Desde que Fantasma morreu cultuo o espírito d'Ele. Converso com Ele. Julgo que me escuta. Acredito nisso não por um esforço da imaginação, muito menos da inteligência, mas por empenho de uma outra faculdade, a que podemos chamar desrazão.

Converso comigo mesma?

Pode ser. Como, aliás, os santos, aqueles que se vangloriavam de conversar com Deus. Eu sou menos arrogante. Converso comigo, julgando conversar com a alma doce de um cão. Em todo caso são conversas que me fazem bem. 






AGUALUSA, José Eduardo.  Teoria Geral do Esquecimento




Ao trecho que me arrancou lágrias de compreensão. Tudo é sempre um tentar achar-se. A si.