sexta-feira, 11 de maio de 2012

Ahhh meu Ser-tão!


Candeeiro Encantado
Lenine

Lá no sertão
Cabra macho não ajoelha
Nem faz parelha
Com quem é de traição
Puxa o facão, risca o chão
Que sai centelha
Porque tem vez
Que só mesmo a lei do cão...
É Lampa, é Lampa, é Lampa
É Lampião
Meu candeeiro encantado


Enquanto a faca não sai
Toda vermelha
A cabroeira
Não dá sossego não
Revira bucho
Estripa corno, corta orelha
Quem nem já fez
Virgulino, o Capitão...
É Lampa, é Lampa, é Lampa
É Lampião
Meu candeeiro encantado


Já foi-se o tempo
Do fuzil papo amarelo
Prá se bater
Com poder lá do sertão
Mas lampião disse
Que contra o flagelo
Tem que lutar
Com parabelo na mão...
E é Lampa, é Lampa, é Lampa
É Lampião
Meu candeeiro encantado


Falta o cristão
Aprender com São Francisco
Falta tratar
O nordeste como o sul
Falta outra vez
Lampião, Trovão, Corisco
Falta feijão
Ao invés de mandacaru
Falta a nação
Acender seu candeeiro
Faltam chegar
Mais Gonzagas lá de Exú
Falta o Brasil
De Jackson do Pandeiro
Maculêlê, Carimbó
Maracatu...
É Lampa, é Lampa, é Lampa
É Lampião
Meu candeeiro encantado


Aqui, a música que me arrancou arrepios hoje. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário