domingo, 31 de janeiro de 2010

a vida

cores
memória
labor
fado
rostos
cheiros
sensação
arrepio
velocidade
tempo
gosto
acelerar
silêncio
música
escuridão
vento
incenso
amanhã
som
céu

sol
gente
leve
vozes
coração
saudade
hipnose
arte
existência
vida
essência
amor
distância
anestesia
liberdade
amnésia
transe
você

sábado, 23 de janeiro de 2010

ARTE


Minha professora de Teoria Literária costumava dizer que não se pode definir ARTE, mas nos deu três idéias interessantes sobre esse assunto. Ela disse, basicamente, que ARTE trata-se de: Fazer (técnica), Conhecer e Exprimir (sentimento).
O desenho ao lado foi feito por um grande amigo, muito talentoso diga-se de passagem, e o agradeço por isso, porque sou uma apaixonada por desenhos. Espero que ele não reconsidere a minha proposta de ilustrar meu livro de contos, rs.

Igor, obrigada pelo presente.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Será porque ficar aqui não mais podia?

"Salgueiro chorão com lágrimas escorrendo
Por que você chora e fica gemendo?
Será porque ele lhe deixou um dia?
Será porque ficar aqui não mais podia?
Em seus galhos ele se balançava
E ainda espera a alegria que aquele balançar lhe dava?
Em sua sombra abrigo ele encontrou
Imagina que seu sorriso jamais se acabou
Salgueiro Chorão pare de chorar!
Há algo que poderá lhe consolar
Acha que a morte para sempre os separou
Mas em seu coração para sempre ficou."

As coisas mais simples são as mais perfeitas...ou não!


segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

E agora?


“Sei, sei que nunca mais encontrarei coisa nenhuma nem ninguém que me inspire paixão. Sabes? Pôr-se uma pessoa a amar alguém não é tarefa fácil. É preciso ter uma energia, uma generosidade... É preciso uma cegueira... Há até um momento, logo ao principio, em que se tem de saltar por cima dum precipício: quem reflete não salta. E eu sei que nunca mais saltarei.” (p. 181)



Fala de Anny, ex mulher de Antoine Roquentin no romance A Náusea (pra variar), sobre aquilo que gostamos de chamar: paixão.