sábado, 12 de junho de 2010

...e o pé.


...simulacro, é a única coisa que eu tenho a te oferecer. uma cópia verossímil da realidade. queria, de fato, poder oferecer-lhe mais, no entanto meu ânimo, minha alma, encontram-se transbordantes de afecção, afetação. causefeito da minha epilepsia.


...três convulsões, três colapsos: esgotamento, falência, morte;

...três coutos, três amparos: ressuscitar, restaurar, restabelecer.


minha percepção tocada, minha sensibilidade brotada da sombra, nascida do outro, ofuscou-me a íris, estragou-me a fleuma e ainda assim quero acreditar que é reversível e temporário. e no centro dessa desordem há uma faísca ardente, embora iconoclasta, de amor, idolatria.


cerne, da ponta para o meio para a pontoutra. verve, imo não me basta, adorno me sufoca. e nesse carrossel de insignificantes essências e insígnias, vaivém de ter-e-não-ter, revés de sabor e insabor, ao invés de desprender-me, atiro-me entre contratempos e contragostos. permaneço des-orientada, des-construída nutrindo ora essência ora ornato.

...minha experiência do presente, a possibilidade de sentir o tempo, de recontar. a recusa da morte matando o outro. queria, de fato, fazer brotar um novo tempo, alvo, ingênuo, mas o miasma que há em mim me impede. peço perdão a ti por ser, seu câncer.















O pior poeta é aquele que escreve pela verve.

5 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Esse foi o último texto que eu escrevi, minha fuga sobre a morte mata os outros.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. "Não reclama, não corre atrás,não tem opnião própria, gosta de tudo de mão beijada, não reivindica nada, é escravo da tv, não protesta, segue a moda dos Estados Unidos, não tem vontade de mudar, não tem vontade de mudar, escravo do sistema..."

    Parar de escrever pode ser o primeiro passo para entrar na lista acima, peço que não pare de se expressar.

    De coração do seu amigo Marcongekson

    ResponderExcluir
  5. Meu amigo que eu tanto...gosto. Rsrsrs

    A gente vai segurando a barra um do outro e certos suicídios serão retardados.

    l'arte dal vivo!

    ResponderExcluir