segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

E agora?


“Sei, sei que nunca mais encontrarei coisa nenhuma nem ninguém que me inspire paixão. Sabes? Pôr-se uma pessoa a amar alguém não é tarefa fácil. É preciso ter uma energia, uma generosidade... É preciso uma cegueira... Há até um momento, logo ao principio, em que se tem de saltar por cima dum precipício: quem reflete não salta. E eu sei que nunca mais saltarei.” (p. 181)



Fala de Anny, ex mulher de Antoine Roquentin no romance A Náusea (pra variar), sobre aquilo que gostamos de chamar: paixão.




2 comentários:

  1. Sensacional!! Esse trecho so Sartre é realmente formidável... é uma pena que seja necessário postá-lo em tão deplorável instante...

    ResponderExcluir